quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Cap.3 - Melodia



Capitulo 3  - Melodia
...
Sentir ela foi umas das melhores sensações que já pude ter, ela me abraçava com força e desejo, e eu de certo, correspondi, que sem querer acabei dormindo também.
...
Quando acordamos eu estava completamente suado, ela fazia eu me aquecer interiormente, fazia com que meu corpo pedisse algo, fazia com que eu perde-se a cabeça por um tempo... Mas explicar ao certo oque eu sentia, eu não conseguia.
Ela olhou pra mim, e tímida, deu um meio sorriso:
-Desculpa eu acabei pegando no sono!
-É eu também, me desculpa. Eu tentei ir dormir na sala mas você não deixou!
-Não deixei?
-Não! Você me abraçou e não deixou eu sair.
-Sério? Nossa me desculpa! – assim que eu ia lhe responder ela levantou da cama com pressa e foi para o banheiro.
Eu continuei sentado na cama, e fiquei observando a porta do banheiro, pensando nela, e logo me lembrei da mão dela acariciando meu peito na madrugada.  E então ela sai do banheiro, com as bochechas rosadas, e um tanto tímida.
-Você está bem? – perguntei.
-Uhum, vou preparar o café da manha!  - disse ela já se virando de costas.
-Vou tomar um banho rápido, estou muito suado!
Me levantei da cama e fui para o banheiro tomar um rápido banho. Enquanto a agua caia eu ficava imerso em pensamentos, sem explicação, sobre a noite passada. Logo acabei e me enxuguei, eu havia esquecido a camiseta limpa no quarto, então sai sem camiseta mesmo.
Fui para o quarto, onde a Cassie estava tocando seu violão, ao me ver ela simplesmente desviou os olhares.
-Desculpa esqueci a camiseta em cima da cama!
Ela me jogou a camiseta e eu a vesti, e então fomos tomar o café da manha, como era sábado Cassie num teria aula e não estava correndo pra não perder a hora, como geralmente acontecia!
-Hoje nós iremos sair, tudo bom? – falou ela, sorrindo.
-E pra onde vamos?
-Ver alguns lugares bem marcantes aqui perto, como algumas praças bem conhecidas.
-Pra ver se eu lembro de alguma coisa?
-Uhum e para distrair também.
Logo que tomamos café, nos arrumamos e fomos fazer o tour planejado por Cassie. Fomos para vários parques e praças, mas uma delas me chamou a atenção na qual ficamos mais tempo.
-Eu já vim para este lugar! – afirmei.
-Fazer oque? Estava com alguém?
-Não lembro.
Demos algumas voltas na praça, que era grande, mas nada veio em minha cabeça. E então sentamos num banco qualquer da praça com copos de cappuccino
-Não se lembrou de nada?
-Não! –  dei uma pausa. – Só sei que já estive aqui antes!
Ficamos em silêncio por um tempo e logo ela, tímida, se desculpou:
-Desculpa por ontem a noite! – disse ela de cabeça baixa.
-Porque? – perguntei curioso.
-Por temos dormido juntos! E...
-Isso é errado? – perguntei tentando entender
-Isso oque?
-Dormir junto com alguém.
-Não!
-Então porque está tão preocupada?
-Pensei que você esteve pensando algo a mais!
-Como assim? Como oque?
-Nada! Esquece! – ela deu uma pausa. – Você realmente não é igual aos outros garotos!
-Hã?
-Vamos pra casa! Temos um trabalho a fazer.
Fomos caminhando até a casa dela e ela por todo o caminho brincava com a minha mão. Ao chegarmos em casa, mal entramos e já pegamos os instrumentos e fomos compor o trabalho dela.
Ficamos horas e horas no quarto, pensando em algo bem original e diferente e que fosse mais jovem e descontraído, até que chegamos a algo próximo do que queríamos.
E quanto mais próximo do final da composição, mais próximos ficávamos, até chegar ao ápice do momento.
Estávamos tocando e a musica estava fluindo e nos levando, até que ela parou de toca largou o violão, enroscou seus dedos nos meus fios de cabelo, e com seus delicados lábios encostou nos meus.
Fiquei surpreso no inicio mas depois fui cedendo.
-Porque você fez isso? – perguntei curioso.
-Não sei!
-Oque você fez afinal? – perguntei mais curioso.
-Sério que num sabe? Eu te dei um selinho!
-Selinho?
Ela deixou escapar um riso abafado e depois voltou a tocar, novamente. Foi então que me surgiu novas ideias para a musicas, a partir do selinho que recebi, decidi transformar elas em notas musicais, oque deu muito certo e alcançando nosso objetivo.
Era a sintonia perfeita, para o momento perfeito, para a melodia perfeita, e até para o selinho perfeito.
Depois que terminamos ficamos um pouco na cama conversando, e então fomos dormir, me levantei para ir para a sala, mas ela segurou minha mão.
-Onde você está indo? – perguntou ela.
-Vou pra sala!  Vou deixar você descansar!
-Fica essa noite comigo de novo!
-Mas ...
-Por favor!
Acabei cedendo e deitei ao lado dela, ela me abraçou e eu a abracei, ficamos nos olhando por um tempo.
-Boa noite! – falou ela me dando um beijo na testa.
-Boa noite! – correspondi com o mesmo beijo na testa.
E logo ela me deu novamente aquele selinho, trazendo para mim e para meu corpo sensações desconhecidas.

Capitulo 4 – Sentir.   
“Ela falava, tudo oque sentia, mas eu sabia que algo ela me escondia.”

                                                   

Nenhum comentário :