quinta-feira, 4 de outubro de 2012

Cap.2 - Momentos



Capitulo 2 – Momentos.

...
Ela se esticou da cama até alcançar o violão e começou a dedilhar as cordas, e eu só observava aquela linda menina que por algum motivo me cativava e me prendia nela me tornando um prisioneiro.
...
Cassie passou o dia todo comigo até o anoitecer:
-Acho melhor você descansar! Amanha veremos algo para te ajudar, a se lembrar.
-Uhum.
-Pode ficar aqui essa noite.
Ela se retirou do quarto e apagou a luz.
-Boa noite. –sussurrou ela em meio a escuridão.
-Boa noite Cassie.
E então ela foi para a sala, onde passou a noite.
Ao acordar, olhei em volta, e ainda era cedo, o dia mal havia amanhecido. Levantei da cama e sai do quarto, fui para o banheiro e me olhei no espelho, eu era loiro de cabelos compridos levemente ondulados, uma barba bem distinta, olhos verdes e pele clara.
Depois caminhei até a sala, e vi Cassie deitada no sofá, descoberta, me aproximei e recolhi o edredom e a cobri, ela se ajeitou e sorriu, provavelmente devia estar tento sonhos bons, fiquei á observa-la por uns instantes e fui para a cozinha.
Lá eu comecei a ver os ingredientes, e como se fosse mágica, foi cozinhando automaticamente, fiz um Suco e um lanche natural. Depois ajeitei a mesa e me sentei perto dela, esperando ela acordar.
Fiquei ali sentado no chão de pernas cruzadas olhando para a janela e só pensando em qualquer coisa que viesse a mente.
Logo me veio a ideia de pegar o violão do quarto, então me levei até ele sem fazer o mínimo ruído, e então voltei ao meu posto e comecei a dedilha-lo, mesmo sem saber ao certo do que fazia, mas logo notas se projetaram em minha mente, pequei um caderno que estava no chão, coloquei em uma folha qualquer, pequei a caneta do estojo junto ao caderno e comecei a escrever.
Logo uma melodia se formou, e sem dificuldade à toquei, até Cassie acordar.
-Bom dia. – Falei para ela que ainda se sentava.
-Bom dia. – disse ela sorrindo.
-Eu peguei o caderno, tem algum problema?
-Não, fique à vontade. – ela parou para olhar, e avistou o violão – Sabe tocar?
-Parece que sim. – afirmei tímido.
-E então que musica bonita era aquela, que  acabou de tocar? – perguntou ela sorridente.
-Eu não dei nome á ela, simplesmente a toquei!
-Como assim não deu nome? Você que compôs? – perguntou ela surpresa.
-Parece que sim! – disse tímido.
-Toca ela de novo, pra mim ouvir.
-Uhum.
Ela se sentou ao meu lado e se encostou em meu ombro, e ouviu a musica, logo ela pegou a caneta e deu nome a melodia “Who Knows The Music” – Musica Dos Quem Sabe – Comecei a rir do irônico nome e ela sorriu.
-Amei a musica, tem ótimas colocações de notas e você tem um dom incrível! – disse ela assim que acabei de tocar. Eu simplesmente abaixei a cabeça ao ouvir o elogio. – Está com fome? – perguntou ela animada. – Vou preparar o café da manha.
-Não precisa, eu já fiz, pra você! Espero que não se importe!
-Você já fez? – perguntou ela surpresa. – Não, não tudo bem, não me importo.
Eu a levei até a mesa e começamos a tomar nosso café da manha.
-Afinal de que mundo você é ? – perguntou ela brincando.
-Não sei!
...
Mais dias se passaram e ela nos primeiros dias ela faltou  das aulas até conversei com ela uma vez sobre isso.
“-Ficar faltando na universidade não vai te prejudicar?
-Não, não se preocupe com isso. Só quero ficar e cuidar de você.”
Mas depois de um tempo ela voltou a estudar normalmente e eu ficava em casa arrumando as coisas, ou compondo musicas aleatórias, que depois ela ouvia e dava nome a elas.
Certo dia ela me chamou para sair com ela, e me comprou roupas novas, porque não aguentava mais me ver com as roupas que era do seu  irmão, ex-morador do apartamento. Mais alguns dias se passaram e ela me levava para um tour pela cidade, mas coisas próximas de casa, para que eu me acostuma-se, caso precisa-se sair para fazer algo.
Ela fazia isso para ver se também me fazia lembrar de algo, mas nada acontecia.
Dias depois ela chegou em casa e conversou comigo sobre o dia de aula dela, como sempre fazia, mas dessa vez ela veio com uma novidade, sobre um trabalho de composição, e me pediu ajuda, e eu não pude negar.
Depois disso passávamos dias só vendo algo para compor, e só bolando ideias, mas na semana de prova tivemos que dar uma pausa no projeto, para ajuda-la nas provas, eu lhe ajudava em todas as matérias; era incrível como eu sabia de musica.
 Em um dia, em seu quarto estamos a estudar na cama, ela estava apoiada em meu ombro e eu lhe explicava a matéria, mas sem querer ela acabou adormecendo de cansaço, tirei os livros da mão dela, e a deitei na cama, e quando fui sair ela impediu me abraçando. Sentir ela foi umas das melhores sensações que já pude ter, ela me abraçava com força e desejo, e eu de certo, correspondi, que sem querer acabei dormindo também.

Capitulo 3  - Melodia
“Era a sintonia perfeita, para o momento pefeito...”

Nenhum comentário :