domingo, 28 de outubro de 2012

Cap. 5 – Visitante (parte 2)



Capitulo 5 Visitante parte 2

“Hulf me levou até o banheiro, a Cler me deu um banho, e os outros limparam o quarto. Mas depois dessa ouve, outras vezes, e como para rose já não era o suficiente, as vezes eram 2 ou 3 soldados de uma só vez.
“Mas eu nunca abaixei a guarda.
...
“Alguns messes depois Rose me convidou para ir visitar os campos de concentração, onde meu pai vivia trabalhando, e onde eu sempre tive vontade de ir, e então não podia perder a oportunidade.
“E fui para uma visita sem reclamar.
...
...
“Pegamos o carro e fomos, o sol naquela tarde era forte, Rose sentou-se ao meu lado, mas à uma certa distancia, e como sempre com suas roupas extravagantes e perfeitamente arrumadas.
-Seu pai já à levou? – perguntou ela.
-Não! – afirmei.
-Então eu acho que você terá uma leve surpresa!
“O campo de concentração não ficava muito longe de casa, então não demoramos para chegar.
“E ao chegarmos, observei o lado de fora com olhares bem críticos, aquilo não parecia nada com oque víamos em alguns filmes feitos, por fora ele era cercado por uma grade de metal, bem resistente, e o ambiente era mais morto visualmente, do que um velório em si.
“Quando entramos o choque, foi maior ainda, o chão era terra pura, nenhum vestígio de vegetação ou qualquer sinal de plantação, lá pessoas trabalhavam na terra sofrida em baixo do sol, com uniformes bem detonados.
“Alias todos usavam uniformes, até oque não estavam trabalhando, e lá não existia idade, haviam crianças recém nascidas até idosos a beira dos 90 anos.
-No que eles trabalham aqui?-perguntei.
-Em várias coisas, de tudo oque o governo precisar. – respondeu rose.
“Em quanto nos passávamos os tais trabalhadores se escondiam ou abaixavam a cabeça.
-Mas eles pretendem, fazer uma plantação aqui? Porque essa terra está completamente inutilizável! – comentei.
-Mas é claro que aqui não serve para o cultivo! – disse Rose com um tom de deboche ao meu comentário.
-E então, no que estão cavando?
-Estão cavando a própria cova! – disse ela sorrindo.
-Como? – perguntei pasma.
-Eles cavam a própria cova para serem enterrados, e quem não tem coragem de fazer isso, são simplesmente exterminados!
-Como assim? – perguntei mais pasma que antes.
-Exterminamos todos que não mais úteis, pela câmara de gás, depois cremamos os corpos.
- Vocês matam pessoas!
-Não! Nós fazemos o melhor, para o mundo, exterminando os inimigos!
-Inimigos? Porque eles seriam inimigos?
-São judeus, homossexuais ...
- E que mal isso tem? Só ...
-Cala a boca garota! Você já está me irritando!
“Continuamos a andar e sem querer um garoto, acabou esbarrando em mim, não demorou muito e o soldado ao nosso lado começou a agredi-lo.
-Não rele nelas, seu impuro! – gritou o soldado para o garoto e que começou a chorar assustado.
-Pare!!! – gritei, puxando o soldado. – Ele não fez nada!
-Mas senhora!
-Solte-o agora! – eu dai a mão ao menino, para ajuda-lo a ficar de pé, e o acariciei. – Está tudo bem! – disse para o garotinho. – Ele esbarrou em mim sem querer, seu grosso!!! – gritei para o soldado.
“Aquela cena paralisou à todos, principalmente aos trabalhadores.
-Loren!!! – gritou Rose.
-Que foi?
-Perdeu o juízo garota? Solte já esse menino!!!
-Não!!!
-Não me desafie, Loren! Solte-o agora!
-Não!!!
-Garota, você já!
- Oh Rose, Rose, Rose, Rose querida! – comecei a falar.- Pare! Suas ameaças de nada valem, eu não tenho medo!
-Você tem certeza do que diz? – desafio Rose. – Vai mesmo querer defender esses imundos?
-Vou ficar do lado que é certo!
-Eu sempre quis dar um fim em você garota, e parece que agora eu vou telo. – disse Rose sorrindo de orelha a orelha. – Tomara que você morra em chamas! – disse ela rindo. – Soldados, leve-a para a sua nova família!
“Dois soldados fortes, me pegaram, um me arrancou o menino do colo e o jogou no chão, e o outro me agarrou com força, me arrastando, e logo o outro me agarrou também me arrastando.
-Faça bom proveito Loren! – falou Rose sorrindo.
“Os soldados, me levaram para um abrigo de madeira caindo aos pedaços, eu me debatia, mas eles me seguravam com muita força, lá havia mais mulheres, que se distanciaram dos soldados, ou me tacarem na cama, dura, me arrancaram a roupa a rasgando, tiraram meus brincos e colar a puxões, e me deixaram nua na cama, saíram de lá como se nada tivesse acontecido.
-Vista isso! - disse uma mulher, me entregando um uniforme.
...
...
Capitulo 6 – Pecados.
Quais foram os seus?
...

Nenhum comentário :