terça-feira, 10 de julho de 2012

Cap.1 - Quem?




Capitulo 1 – Quem?


Ao acordar abri meus olhos devagar, pois ainda estava com tontura, quando abri os olhos  por completo não reconheci o lugar.
A cima de mim havia, um forro de madeira de um tom de marrom bem aconchegante, em baixo de mim havia algo bem macio e confortável, o mesmo era o cobertor quente que envolvia meu corpo.
Sentei na cama, devagar, pois tudo girava ainda, e agora eu podia ouvir uma melodia doce que estava vindo de um violão, de repente ouço uma voz doce e delicada:
-Até que fim você acordou!
Logo surgiu uma garota, de pele clarinha, olhos castanhos claros, cabelos cacheados com tons mesclados de castanhos diversificados, apesar do frio ela usava um mini short, mas pelo menos usava uma blusa de moletom cinza bem fininha.
-Você me fez perder a aula hoje, sabia? – disse ela olhando para mim.
-Me desculpe! –disse com a voz mais que gentil.
-Nossa que voz doce! – disse ela se aproximando mais para observar meu rosto. – Acho que já te vi em algum lugar!
Eu senti mais uma pontada em minha cabeça, e não pude deixar de demonstrar, coloquei a mão na testa e tombei um pouco.
-Ai me desculpa, eu esqueci que você ainda não está muito legal. – ela levantou da cama e foi até a escrivaninha, e pegou uma xicara e  trouxe ela para mim. – Toma, beba um pouco, pode se sentir melhor!
Bebi o chá, enquanto ela acariciava meus fios de cabelo, ela começou a cantarolar uma musica, que por sinal era muito bonita, aos poucos fui voltando ao meu estado normal.
-Obrigado, por sua gentileza, já estou bem melhor!  - disse e levantei a cabeça para a observa-la melhor do que antes, ao meus olhos encontrarem com os delas tive uma sensação estranha, mas não soube explicar .
-Que fofo você!  Foi um prazer! – disse ela desviando o olhar. –Quem é você ?
-Eu sou ...
Quem eu era? Eu buscava, buscava, buscava mas nada vinha em mente!
-Quem?
-Eu não me lembro! – falei confuso!
-Qual o seu nome?
Pensei, pensei, pensei, mas nada aparecia.
-Não sei também!
-Hum engraçadinho! – disse ela pensando que eu estava brincando. – Oque veio fazer aqui?
Novamente pensei, busquei revirei minha mente, mas nada me aparecia a não ser pequenos fleches de algumas lembranças.
-Realmente eu não me lembro! –disse agora assustado.
Ela olhou para mim e percebeu minha preocupação, segurou minha mão forte, e me incentivou:
-Pense um pouco, do que se lembra?
Pensei, busquei, fiz o que pude mas nada.
-De nada!  - falei assustado. – Só fleches de algumas lembranças, mas ... mas são tão curtas que não consigo  identificar.
Fiquei parado pensando, pensando tentando recuperar algo mas não conseguia localizar nada, comecei a me desapontar com aquilo, a tristeza bateu em meu coração junto ao desespero, lagrimas surgiram em meus olhos, e sem querer deixei algumas caírem sobre o cobertor macio.
Ela com suas mãos delicadas e gentis, limpou meu olhos e me fez levantar a cabeça:
-Não chore! Levante a cabeça, pense positivo, tudo vai dar certo, você irá se lembrar. E eu irei lhe ajudar.
Ela segurou minha mão com força, me deu um beijo na testa, e com seus braços me deu um abraço muito carinhoso, olhou no meu rosto novamente tirou os fios de cabelo loiro escuro, dos meus olhos e sorriu.
-Eu vou lhe ajudar, eu prometo! – disse ela sorrindo – Agora vou preparar algo para você comer e se fortalecer!
Ela se levantou, mas antes que se distancia-se segurei sua mão:
-Ei ... – parei e pensei um pouco. – Qual o seu nome?
-Cassie.
Quando ela falou o nome, meu coração disparou, me fez tremer, mas não conseguia entender:
-Obrigado Cassie!
Ela sorriu e saiu do quarto caminhando delicadamente.
Não demorou muito e ela voltou com um lanche e um café, ela me entregou, e sentou ao meu lado.
Olhei para suas pernas de fora:
-Está cm frio?
-Um pouquinho. –afirmou ela.
Pequei o cobertor e dei a ela, e então percebi que estava seminu, Cassie olhou para mim e viu que iria sentir frio e dividiu o cobertor comigo.
-Porque estou só de regata e cueca? – perguntei confuso.
-Quando te encontrei, você estava ardendo em febre, então tirei suas blusas, o cachecol e aquela calça quente.
Ficamos em silêncio, e então ela decidiu quebrar o silêncio:
-Gosta de musica?
-Uhum!
Ela se esticou da cama até alcançar o violão e começou a dedilhar as cordas, e eu só observava aquela linda menina que por algum motivo me cativava e me prendia nela me tornando um prisioneiro.
...

...
Capitulo 2 – Momentos.
“Sentir ela foi umas das melhores sensações que já pude ter. ..”

~.~

Nenhum comentário :